A VIDA É MISSÃO

Notícia: Mons. Luiz Rodrigues Oliveira | Publicação: 11/09/2018
Fotos: .

Estamos mais uma vez celebrando o mês missionário em nossa Igreja Católica. A nossa Arquidiocese, por sua vez, está em estado permanente de missão desde o mês de abril último realizando encontros de formação para lideranças missionárias e afins.
No contexto dessas celebrações estamos assistindo a grande e significativos acontecimentos no seio da nossa Igreja, como a abertura do ano mariano do Brasil por motivo da celebração do tricentenário da aparição de N. Senhora da Conceição Aparecida, nossa padroeira nacional.

Em plano internacional o Papa Francisco canonizou recentemente a Madre Teresa de Calcutá, elevando-a à dignidade dos altares. Sobre esse fato gostaria de tecer alguns comentários, de olho, sobretudo, no que ocorre em nosso país.

Os políticos brasileiros (golpistas e assemelhados) não se cansam de alardear aos quatro cantos do mundo que estamos vivendo uma profunda crise econômica a ponto de estarem institucionalizando sob forma de PEC (proposta de emenda constitucional) um arroxo econômico sobre toda a população como jamais vimos em nossa história. Algo semelhante poder-se-ia dizer ao que os déspotas esclarecidos fizeram em séculos passados na França. Muitos deles terminaram na guilhotina...

Os salvadores da pátria brasileira, com o fito de manter a Previdência Social para todos, estão acabando com ela para os mais fracos e garantindo as suas polpudas aposentadorias. Não está na hora de o povo brasileiro ir ao encontro desses líderes perguntando-lhes por que eles ganham tanto e ainda roubam muito mais? Por que deputados, senadores, ministros de Estado, ministros de tribunais, juízes de todos os níveis, funcionários públicos, etc. ganham tanto? Onde está mesmo o rombo das contas públicas brasileiras?

Será que todos os brasileiros somos beócios? Perdemos a capacidade de compreender os fatos ou perdemos a capacidade de nos indignarmos com a insensatez desses líderes?

Uma frase da Santa Madre Teresa de Calcutá nos ajudaria a refletir: "a maior poluição do mundo é a fome". E Jesus, que disse: "eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância", certamente estará nos questionando nesses tempos de tanta malvadeza: "estava com fome e me destes de comer...". 

A missão mais urgente e necessária que temos a realizar agora não é tanto celebrar tricentenário de aparições, por mais digna que seja Aparecida, mas sair em missão, acolhendo, como Santa Teresa, aquele corpo em frangalhos que sangra pelas artérias da cidade, porquanto naquela carne exangue está aparecendo, todos os dias, em todos as latitudes e longitudes do planeta, o corpo crucificado do Filho de Deus.