A IGREJA É MISSÃO

Notícia: Mons. Luiz Rodrigues Oliveira | Publicação: 11/09/2018
Fotos: .

Lendo São Paulo que diz: "Evangelizar não é título de glória para mim; é, antes, necessidade que se me impõe" (1 Cor 9,16), o papa Francisco pontua na sua encíclica EvangeliiGaudium: "A missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou um ornamento que posso pôr de lado; não é um apêndice ou um momento entre tantos outros da minha vida. É algo que não posso arrancar do meu ser, se não me quero destruir. Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo" (EG, 273).

Mirando nessa direção foi que o nosso arcebispo D. ZanoniDemettino Castro convocou padres, religiosas, diáconos e lideranças pastorais da nossa Arquidiocese para um grande encontro de reflexões e estudo durante quatro dias (31 de março, 1, 2 e 3 de abril do ano em curso), sob a orientação do padre Luigi Mosconi, missionário, biblista e escritor. Um evento que poderíamos qualificar de extraordinário não somente pela quantidade de lideranças presentes (cerca de 550), mas pela qualidade das reflexões, o envolvimento dos participantes e o espirito contagiante que o missionário conseguiu passar para todos nós. Realmente um Kairós pascal...

Se a referência mais sensível fora o papa Francisco, é bom continuarmos com ele nesta nossa breve reflexão: "Hoje a Igreja deve ser uma Igreja em saída. Todos nós somos convidados a esta nova saída missionária: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho". 

Sair das nossas comodidades, das nossas velhas práticas pastorais, buscar novos horizontes; renovar-se não pelo prazer de fazer diferente, mas pela consciência de que não podemos envelhecer a mensagem do Evangelho que é sempre notícia nova. Essa nova maneira de ser Igreja certamente nos trará algumas dificuldades. O papa nos adverte: "Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças. Não quero uma Igreja preocupada em ser o centro, e que acaba presa num emaranhado de obsessões e procedimentos".

E continua o Papa: "Que Deus nos empurre a sair ao encontro de tantos irmãos e irmãs que estão na periferia, que têm sede de Deus. Que não nos deixe em casa, mas nos empurre a sair de casa".

È nessas pegadas do papa Francisco que a nossa Arquidiocese, sob o cajado de D. Zanoni quer caminhar e, com certeza o fará, pois Deus assim o quer e o ponta-pé inicial já foi dado com a realização do grande encontro missionário há poucos dias realizado. Este é um tempo de favorabilidade em nossa Igreja Arquidiocesana. Abramos pois, o coração e, a todo o pulmão gritemos: também eu sou uma missão, pois eu sou Igreja e a Igreja é missão.